Tudo Sobre Rubéola: O Que é? Quais os Sintomas? Prevenção e Causas!

Existe uma série de doenças que podem ser evitadas somente com a aplicação da vacina. A rubéola é uma dessas doenças. Ela é transmitida por um vírus do gênero Rubivirus, pertencente à família Togaviridae. Outro nome dado a essa doença é “Sarampo Alemão”. A rubéola é uma doença altamente contagiosa e aguda. E uma das que acontecem com mais frequência durante a infância.

O que é Rubéola?

A rubéola ou, como também é chamada, sarampo alemão. Ela se manifesta por algumas manchas no rosto e por trás da orelha. Depois, elas se espalham pelo corpo todo.

Uma virose contagiosa, ela geralmente acontece durante a infância, acometendo crianças de 5 a 9 anos de idade. Porém, pode contagiar também adultos que não se vacinaram e que nunca contraíram a doença. Costuma ser benigna, desde que não acometa mulheres grávidas. Normalmente, a virose acontece apenas uma vez durante toda a vida.

Quais os Sintomas da Rubéola?

Segue abaixo os principais sintomas que a rubéola pode causar:


  • Dor de cabeça;
  • Febre que pode chegar a 38ºC;
  • Conjuntivite;
  • Mal estar;
  • Manchas vermelhas na pele que causam coceira;
  • Gânglios aumentados, principalmente especialmente próximos ao pescoço
  • Secreção nasal, espirros e tosse.

Em geral, os sintomas da doença não são muito intensos. Além do mais, eles costumam desaparecer sozinhos. O grande problema dessa doença é quando ela afeta mulheres grávidas ou crianças. Pois, nas crianças, os seus efeitos podem ser muito piores e causar uma série de problemas graves.

Como não há um tratamento para a rubéola, a recomendação é:

  • Descansar bastante, já que a doença está diretamente relacionada com a sensação de cansaço e fraqueza. O nosso sistema imunológico libera moléculas de proteínas chamadas citocinas. Elas ajudam no combate da infecção e inflamação. O ideal é que a pessoa infectada durma de 8 a 10 horas por dia, no mínimo.
  • Outra coisa importante é aumentar a ingestão de água. Ela será importante para manter a hidratação do corpo e repor o líquido perdido.
  • Aumentar o consumo de vitamina C também é muito importante, pois ela estimula o sistema imunológico.
  • Além do mais, é preciso que o médico acompanhe o caso e que a pessoa infectada siga todas as suas recomendações, tomando corretamente os remédios prescritos.

criança com rubéola

Qual o agente causador?

A rubéola, uma doença infecto-contagiosas, é causada pelo vírus Rubivirus, da família Togavírus. Esse vírus é capaz de tolerar o congelamento bem. Ele consegue manter a sua agressividade por muitas horas à temperatura ambiente. E morre com rapidez se submetido à radiação, a desinfetante e ao aquecimento.

Como é a transmissão?

A transmissão dessa doença acontece por meio das vias respiratórias, como secreção nasal ou mesmo aspirar gotículas de saliva. Pode ser transmitida também da mãe para o feto. Nesse caso, chama-se rubéola congênita.

A vacina contra a Rubéola está entre as componentes da Tríplice Viral (Caxumba, Rubéola e Sarampo) e da Quádrupla Viral ( Caxumba, Sarampo, Rubéola e Varicela). Elas são compostas de vírus atenuados. Para estar protegida, a pessoa precisa ter tomado duas doses da vacina nos primeiros anos de idade, e entre 2 e 4 anos de idade.

A vacina pode causar leves efeitos como mal-estar e febre. Mulheres grávidas não devem se vacinar. E , após se vacinar, elas devem esperar, no mínimo, 30 dias para tentar uma gravidez. Também devem evitar a vacina, as mulheres que estão amamentando. Pessoas que apresentam  imunodeficiência imunológica, usando doses altas de  corticoide ou quimioterapia, precisam passar por uma triagem médica antes de serem vacinadas.

Riscos da Rubéola na grávidas e em bebês

O tratamento da doença é feito com analgésico e antitérmico. Eles ajudam a reduzir os sintomas e aliviar o desconforto causado. O repouso também é muito importante na fase mais crítica da doença. As crianças que nascem com a rubéola devem ficar afastadas de outras crianças e também de gestantes, pois elas podem transmitir o vírus por um período de 1 ano.

Existe vacina contra a doença também. E ela se mostra eficaz em praticamente 100% das vezes. A vacina precisa ser aplicada nas crianças com 15 meses de vida. E as mulheres que nunca contraíram a doença, precisam se vacinar antes de engravidar.

Quais os tratamentos para a Rubéola em bebês?

Bebês contaminados pelo vírus da rubéola podem nascer com muitos problemas. Dentre eles:

criança com rubéola

  • Malformação cardíaca;
  • Surdez;
  • Púrpura;
  • Transtornos oculares;
  • Meningoencefalite;
  • Meningite crônica;
  • Anemia hemolítica;
  • Fibrose;
  • Retardo mental;
  • Microcefalia,
  • E até aborto.

A contaminação pelo vírus da rubéola pode ser evitada por meio da vacinação. Não existe um tratamento específico. Geralmente, o pediatra recomenda tratar sintomas como febre, coceira, dores musculares. Também é importante ingerir bastante líquido para evitar desidratação. Os sintomas que vão surgindo são tratados conforme a terapêutica adequada e sintomatologia.

Quando procurar ajuda médica?

É preciso procurar um médico assim que a pessoa apresentar algum sintoma típico da doença. A mulher que deseja engravidar e ainda não se vacinou, deve procurar um posto de saúde e solicitar a vacina. O diagnóstico pode ser feito através de exames laboratoriais, disponibilizados na rede pública em todas as regiões.

Pergunta dos leitores

Rubéola coça?

A rubéola pode apresentar coceira durante as erupções cutâneas. Mas é bem menos intensa que na catapora. É possível que a rubéola apresente alguns sintomas ou nenhum. Quando eles aparecem, geralmente acontece entre 16 e 18 dias após a contaminação, e podem ser: febre branda, dor de cabeça, dores nas articulações, vermelhidão nos olhos, corrimento nasal, indisposição e dor de garganta.

Pode acontecer também do nódulo linfático atrás do ouvido e da nuca inchar, inflamar, provocando dor. Essa erupção cutânea é que pode provocar coceira. Ela acontece primeiro na fase, passando posteriormente da cabeça até os pés, durando cerca de 3 dias.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *