Existe Febre Emocional na Gravidez? Quais os Sintomas? Como Tratar?

A vida parece estar cada vez mais corrida. Contas, dívidas, cuidado com os filhos, problemas no trabalho, etc. Essas e outras situações costumam criar um estado de estresse excessivo no organismo. É aí que pode aparecer a febre emocional.

A febre emocional é uma resposta do organismo de que algo não vai bem. O problema merece atenção. Saiba mais a seguir…

O que é a Febre emocional?

A febre emocional está totalmente ligada ao estado de humor da pessoa. Ela pode se manifestar em casos que envolvem uma grande estresse emocional. Assim, o organismo e o sistema imunológico acabam reagindo à situação, elevando a temperatura corporal. É uma maneira do corpo informar que algo encontra-se em desequilíbrio com a pessoa.

A febre emocional costuma aparecer mais em crianças e adolescentes, quando elas são submetidas a situações adversas relevantes.


Quais os sintomas?

Os sintomas da febre emocional estão ligados, em geral, a uma preocupação ou estresse intenso. Cria-se uma tensão de alta intensidade no sistema nervoso, fazendo que o corpo responda com a febre. Os principais sintomas da febre emocional são:

  • Temperatura corporal mais alta do que a normal;
  • Dores de cabeça;
  • Oscilações de humor;
  • Queda de fios de cabelo;
  • Cansaço e fadiga;
  • Falta de apetite;
  • Insônia;
  • Irritação;
  • Sensação de angústia;
  • Choro fácil;
  • Problemas no trato gastrointestinal, como prisão de ventre ou diarreia; entre outros.

mulher com febre emocional

Por que ocorre a Febre emocional na gravidez?

A febre emocional pode surgir em mulheres grávidas devido à ansiedade e ao estresse ocasionados pela chegada da criança.

Ao contrário do que muita gente pode pensar, ter febre emocional na gravidez é um problema com o qual a gestante deve se preocupar e buscar ajuda médica. Isso porque, se a temperatura corporal aumentar demais, existe o risco de abortamento espontâneo, má formação do feto ou mesmo parto prematuro.

A gestação costuma deixar o sistema imunológico da mulher mais frágil e mais susceptível a contrair doenças. Assim, a febre emocional pode ser a “porta de entrada” para a gestante contrair problemas de saúde. Portanto, a febre, mesmo emocional, pode causar problemas à gestação e ao bebê.

Os médicos recomendam que as gestantes fiquem sempre atentas quando se sentirem estressadas ou ansiosas para a chegada da criança. Isso pode ser feito conferindo a temperatura corporal com um termômetro comum. Caso a temperatura do organismo passe dos 38 º C, convém buscar atendimento médico.

Não é aconselhável que a grávida administre, por conta própria, medicações analgésicas qualquer. O antitérmico mais indicado para gestantes com febre, mesmo emocional, é o paracetamol – que não causa efeitos colaterais.

Juntamente com as recomendações médicas, as gestantes com febre emocional podem adotar algumas condutas. Uma delas é tomar banho com água morna. Também é indicado permanecer em locais arejados e não deixar de se alimentar, além de beber bastante líquidos. Caso a febre não abaixe, busque atendimento médico o quanto antes.

O que fazer com a Febre emocional infantil?

As crianças com até 36 meses de vida é o grupo de pessoas que mais pode apresentar febre emocional. O problema costuma aparecer quando o pequeno é exposto a situações de estresse intenso ou quando há mudanças bruscas na sua rotina.

A separação dos pais, a chegada de um novo irmãozinho, a mudança de escola ou a proximidade de um evento importante, como uma festa de aniversário, pode deixar os pequenos estressados. O organismo reconhece a emoção intensa como uma agressora e eleva a temperatura do corpo para combatê-la.

Antes de procurar ajuda médica, quando a febre é de origem emocional, os próprios médicos indicam tomar algumas atitudes, que costumam resolver o problema. Veja a seguir o que pode ser feito em casa no caso de febre emocional infantil:

  • Fazer compressas frias nos membros e no tronco da criança.
  • Deixar a criança em repouso
  • Dar um banho de água morna no pequeno
  • Vestir a criança com roupas confortáveis, especialmente confeccionadas em algodão
  • Beber muito líquido para manter a criança hidratada
  • Oferecer uma alimentação leve, porém, nutritiva

Caso a febre persista, mesmo com as condutas acima, a solução é buscar o atendimento médico de um pediatra.

Como tratar?

mulher com febre emocional

Tratar a febre emocional não tem muita diferença de tratar a febre causada por alguma doença.

Porém, caso a febre emocional seja constante, significa que algo não vai bem com a saúde mental da pessoa. Nesse caso é recomendado buscar ajuda médica e psicológica, com um médico psiquiatra e um psicólogo. O objetivo é tratar a reação do paciente frente às situações que estão ocasionando o descontrole emocional e fazendo aparecer a febre.

Porém, a pessoa pode ajudar no tratamento, tomando algumas medidas em casa, como:

  • Manter-se em locais arejados;
  • Não permanecer com excesso de roupas;
  • Tomar banhos com água morna;
  • Usar uma toalha molhada com água fria, colocando-a sobre a testa e nos pulsos;
  • Beber muito líquido;
  • Ficar em repouso;
  • Procurar ingerir sucos naturais com frutas que fortaleçam o sistema imunológico, como tangerina, laranja, toranja, acerola e limão

Caso a febre não ceda, procure atendimento médico.

Pergunta dos leitores

A saudade pode trazer febre emocional?

Sim, a saudade é um sentimento que pode gerar estresse e tristeza à pessoa, baixando a sua imunidade e fazendo surgir a febre emocional

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *